​​PAI Boracea comemora fim de 2017 com idosos


em 12/12/2017

Teve choro, dança, cantoria, brincadeira. Entre emoção e alegria, usuários e colaboradores do Programa Acompanhante de Idosos (PAI) Boracea festejaram 2017 na confraternização de fim de ano do serviço. A festa, que começou a ser planejada ainda em janeiro, reuniu cerca de 50 idosos no salão da Igreja de Santo Antônio na sexta-feira (8).

“Essa é uma finalização das atividades do ano. Eles esperam muito por isso, porque é uma festa feita para eles”, comenta a supervisora do PAI Boracea, Camila Ferreira. E a comemoração não é fruto do trabalho somente da equipe do programa, ela ressalta: colaboradores da UBS Boracea, membros da comunidade, familiares e os próprios idosos, com artesanatos para a decoração, ajudaram na realização do Natal. “Para nós, isso significa um grande sucesso”.

Toda a festa é pensada especialmente para os idosos, afirma Camila. O número musical de abertura, por exemplo, foi realizado pelo coral da Polícia Militar. Essa foi uma solicitação dos acompanhados, que conheceram o projeto de canto dos PM em uma visita à praça Tiradentes, organizada pelo PAI. Já o cardápio teve itens pensados para as restrições alimentares do grupo. Também houve dança circular, com o apoio de fisioterapeuta e terapeuta ocupacional, e bingo – atividade estimada pelos idoso.

A acompanhante Aparecida Neri foi uma das que deu apoio à cozinha, produzindo o almoço e os lanches da festa. Mas não por isso ela deixou de se divertir, cantando e dançando com os idosos. “O dia de hoje proporciona uma alegria muito grande para nós e para eles, independente da condição de cada um. E é especialmente uma oportunidade para mostrarmos que cuidamos com muito amor”.

Todos os acompanhados pelo PAI passam o ano aguardando a festa de Natal, conta Aparecida. Santa Ribeiro, 86, confirma: “Venho todo ano. Sou velha, mas não deixo de me divertir e de me arrumar”. Ela foi uma das idosas que mais dançaram durante a apresentação do coral. “É sempre muito legal, e hoje está ainda melhor. Já até chorei de emoção”.

Esta foi a primeira vez que Elisa Pinesi Trevisan, 81, participou da confraternização. Ela foi acompanhada do marido, Reneo Trevisan, 84. Os dois são atendidos pelo PAI há dois anos. “O melhor da festa é a união de todos nós. A turma inteira do PAI representa uma família para nós”. Ela só lamentou que teve de ir embora da festa antes do fim, mas garante: valeu a pena.

Para Florinda Garcia Barbosa, 84, a oportunidade de interagir com os amigos também é o principal ponto da festa, ela conta, especialmente porque passa grande parte dos dias só. Para compensar, ela não parava de trocar figurinhas com Elisa, de quem sentava ao lado. “Estou adorando. Esse momento é muito importante para mim”. ​

IMG_20171208_103931306 IMG_20171208_110622263