IABAS chega à marca histórica de 100 mil regulações


em 25/10/2018

Em outubro de 2018, o estado de Mato Grosso do Sul alcançou um importante marco na regulação de transferências entre hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS). São 100 mil pedidos atendidos um ano e meio após a reformulação do sistema de regulação, feita pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) em parceria com o IABAS.

A partir de abril de 2017, o IABAS assumiu o Complexo Regulador Estadual (CORE), treinou as equipes das unidades de saúde e começou a apresentar uma evolução surpreendente com a modernização de um sistema que anteriormente era feito por meio de FAX.

É possível afirmar que o estado agora processa mais volume do que São Paulo, desconsiderando complexidade e levando-se em conta somente a proporção de regulações em relação à população. Enquanto em São Paulo são processadas em torno de 1.000 solicitações dia com 44 milhões de habitantes, em Mato Grosso do Sul são processadas 140 com 2,7 milhões. Tudo isso com taxa de resolutividade de 99%.

A responsável administrativa do CORE, Cinthia Procopiou acredita que os bons resultados apresentados são fruto de organização e treinamento de qualidade.

“O fluxo de treinamento é contínuo com o levantamento e acompanhamento de unidades que diminuem a quantidade de solicitações ao longo do tempo ou ainda que solicitam recorrentemente auxilio para nosso suporte, isto é enviado para avaliação da equipe de controle e acompanhamento da SES/MS e também das solicitações por parte dos próprios municípios para retreinamento ou novas adesões”, explica.

Os casos mais graves são priorizados, seguindo o protocolo de vaga zero do Ministério da Saúde. Algo que anteriormente era prejudicado por não ser possível visualizar as redes estabelecidas entre solicitantes, executantes e centrais de regulação. Dessa forma, apenas o solicitante determinava o que era vaga zero. Com a implantação do CORE, este conceito foi reformulado para que as centrais de regulação passassem a efetuar de forma mais ordenada e controlada a aplicação deste conceito, diminuindo estas solicitações e ordenando com mais tranquilidade a relação entre os entes solicitantes e executantes.