Programa de atendimento domiciliar a idosos do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes


em 03/10/2019

Programa de atendimento domiciliar a idosos do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes aumenta a rotatividade de leitos na unidade

Objetivo é reduzir o tempo de internação e melhorar a qualidade de vida dos pacientes. Mais de 1200 visitas já foram realizadas esse ano. Na próxima terça-feira (1) é comemorado o Dia do Idoso

Promover a prevenção e reabilitação da saúde do idoso: esse é o foco do Programa de Atendimento Domiciliar ao Idoso (PAD) no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes (HEAPN), em Duque de Caxias. Com uma equipe multiprofissional, o serviço atende prioritariamente a pessoas a partir de 50 anos, residentes de Duque de Caxias, e portadoras de doenças crônicas que necessitem de cuidados contínuos que possam ser realizados na residência. Somente este ano, até agosto, o PAD realizou 1.246 visitas domiciliares – um aumento de 16% em relação ao mesmo período do ano passado. Na próxima terça-feira (1/10) é comemorado o Dia Mundial do Idoso.

Criado em 2004, o PAD do Hospital de Saracuruna se destaca pela assistência na região e pelos recordes de atendimentos que vem batendo. Em 2018, registrou 1.600 visitas domiciliares realizadas. A médica Cristiane Soares, que lidera o programa há 14 anos, fala da importância da atuação e o objetivo.

‘’Além de priorizar o bem-estar e qualidade de vida do paciente, já que o tratamento em casa reduz o risco de infecção e o tempo de internação, o PAD auxilia a família para que sinta maior segurança em lidar com vulnerabilidade desse idoso. O nosso foco é superar a marca de visitas do ano passado, mantendo a qualidade da atenção ao idoso’’, explica.

Em 2018, a unidade registrou 2 mil atendimentos a pessoas na faixa etária acima dos 50 anos. Para os pacientes que, entre eles, tinham indicação clínica, o programa significou a continuidade tratamento, com acompanhamento domiciliar após a alta hospitalar.

A equipe de profissionais do programa é composta por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e psicólogos, que são responsáveis pelo atendimento ao idoso, treinamento do cuidador e participação efetiva da família. Dependendo do perfil da atenção a ser prestada, o paciente conta com o apoio de toda a equipe.

O PAD do HEAPN foi desenvolvido pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES), em parceria com a universidade Unigranrio, responsável pelo transporte dos profissionais.

 

Reuniões com os cuidadores

 

No hospital, um diferencial do PAD é promover reuniões entre profissionais do programa e os familiares ou responsáveis por prestar o cuidado domiciliar dos idosos. Os encontros acontecem duas vezes ao mês e contam com a presença de um assistente social e psicólogo do projeto.

‘’O objetivo é, além de orientar esses cuidadores, trocar informações importantes sobre o paciente e, caso necessário, entregar materiais para curativos. Eventualmente, também organizamos, com a ajuda da enfermagem, aulas sobre limpeza, cuidado de feridas e escaras, que são muito comuns em pacientes internados por longos períodos’’, conta a coordenadora Cristiane.

Confira a matéria que saiu no O Dia sobre o projeto: https://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2019/09/5688080-programa-de-atendimento-domiciliar-a-idosos-do-hospital-estadual-adao-pereira-nunes-aumenta-a-rotatividade-de-leitos-na-unidade.html

fts