HEAPN homenagea família de doadores


em 02/10/2017

HEAPN

Doar faz bem. Essa foi a frase dita pelos familiares presentes na homenagem realizada pela Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) do HEAPN. O evento, que foi realizado na semana que é comemorado o Dia Nacional de Doação de Órgãos, foi realizado no auditório da unidade e contou com a presença de cerca de 100 participantes.

Edilene Francisca recebeu um rim doado pelo Adão Pereira Nunes no dia 23 de dezembro do ano passado, e fez questão de estar no evento para falar em como a doação mudou completamente sua vida. “Foram dois anos de espera, recebi a ligação sobre a doação do órgão quando estava me arrumando para a hemodiálise. Eu não tenho palavras para agradecer esse gesto de amor. Não me doaram apenas um rim, me doaram uma nova vida. Eu cuido muito bem dele e continuarei cuidando por muito tempo’’, declarou Edilene.

Além de promover um encontro com doadores e receptores, o evento contou com a entrega de certificados de agradecimento, rosas e muita emoção.

“A nossa rotina é lidar com as pessoas que estão perdendo um ente querido, nós lidamos sempre com o luto da família doadora. Nós não conhecemos a outra ponta, que é o lado de quem está recebendo. Quando realizamos um evento desse, que podemos ver o receptor, conhecer sua história, o tempo de espera, as dificuldades, o momento que recebeu a ligação e o momento que ganhou uma vida nova, faz todo o trabalho valer a pena. Ver tudo isso é como um combustível para nós, de coração”, explica o enfermeiro responsável pela CIHDOTT do HEAPN, Gilberto Malvar.

É muito importante que a população saiba que apenas um doador pode salvar até 8 vidas ou mais. Isso porque de cada doador podem ser doados: 2 córneas, 2 pulmões, 2 rins, coração, fígado, pâncreas, intestino, pele, ossos e tendões.  No caso dos pulmões e dos rins, duas pessoas diferentes são salvas em cada caso. Se você for doador de ossos e tecidos também, o número de pessoas ajudadas aumenta ainda mais.

 ‘’Meu pai ajudou a melhorar 5 vidas, com a doação de suas córneas, rins e fígado. Ele faleceu no dia 14 de dezembro, e agora, depois de tudo, podemos dizer que doar faz bem e salva vidas. E eu acredito que meu pai, por ter sido um bom homem, está muito feliz em poder ajudar’’, declaram os familiares.

A enfermeira plantonista da CIHDOTT fala com bastante alegria sobre a sua relação com os familiares que não esquecem seu nome. “O que me estimula a trabalhar é isso, as pessoas chegam em mim e dizem que lembram meu nome, muito obrigado por seu atendimento, pelo suporte e esclarecimento. Não tem o que pague, esse é o melhor salário que podemos receber’’, conta Juliana

A CIHDOTT do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes é referência nacional em captação de órgãos e tecidos. A Comissão que funciona 24h e possui números expressivos no que se diz respeito ao acolhimento e atendimento dos familiares e, por consequência, o resultado de em média 50% de taxa de conversão, que é o número de doações efetivas em um total de casos de morte encefálica.